TODO PESSIMISTA É UM VAGABUNDO

Ser pessimista é uma forma de covardia que esconde, atrás do pessimismo, a vadiagem de não querer fazer nada para melhorar nada.

Anúncios

UMA DIFERENÇA MUITO IMPORTANTE

No Brasil, costumamos falar com muita frequência diante de um problema: “vou fazer o possível” ou “vou fazer o que posso”. Nos Estados Unidos, os americanos falam: “I will do my best”, ou seja, “vou fazer o meu melhor”. Esta diferença não é de idioma, mas sim de atitude! Você e eu sempre devemos FAZER O MELHOR QUE NÓS PUDERMOS FAZER DENTRO DAS CONDIÇÕES QUE TEMOS. Isto significa que, na maioria das vezes, NÃO FAZEMOS O NOSSO MELHOR. O melhor de alguém exige atitude de superação, com resultados muito acima do “vou fazer o possível”.

ESTOU DE VOLTA

Após dois anos, volto a escrever no meu blog. Empresa sem SONHO GRANDE vira SANATÓRIO. A luta contra o inimigo externo e o cumprimento de metas importantes cedem lugar para aas idiossincrasias individuais e para as lutas internas. A efervescência dá espaço para a MELANCOLIA.

O BRASIL NÃO TOMA JEITO

Na Harvard Business Review de setembro de 2012, um dado muito bacana para o Brasil: somos o campeão mundial de lentidão para a abertura de novas empresas. A média brasileira é de 119 dias, contra 6 dias nos Estados Unidos. O segundo colocado no ranking da burocracia burra é a Indonésia, com 45 dias. Somos campeões e estamos disparados na frente.

O QUE REALMENTE IMPORTA

SEJA NA VIDA PROFISSIONAL OU NA PESSOAL, O QUE IMPORTA NA RELAÇÃO ENTRE DUAS PARTES NÃO É O QUE SOMOS HOJE, MAS O QUE SEREMOS PARA SEMPRE.

GORDOS E PREGUIÇOSOS

Já repararam no tamanho da barriga do Abel Braga, do Felipão, do seu fiel auxiliar, Murtosa, do Muricy Ramalho, do Joel Santana e de outros técnicos de futebol do Brasil? Barrigas grandes e indecentes, revelando descuido com o próprio corpo e com a aparência. Ninguém precisa ser bonito, mas todos precisam ter uma aparência limpa e agradável. E, me desculpem os barrigudos, barriga grande revela preguiça e desleixo com a vida. Ah, Bernardinho e José Roberto, ao contrário, apesar de cinquentões, estão em forma. É a velha comparação vôlei x futebol brasileiro. E não esqueçam da gordura do Ronaldo Nazário e do Branco. Ridículo!

O ESFORÇO DO VÔLEI OU A VAGABUNDAGEM DO FUTEBOL

O futebol brasileiro apresenta um quadro lamentável: técnicos imbecis, jogadores vagabundos e dirigentes corruptos e desqualificados. Os resultados estão no campo. O vôlei apresenta exatamente o contrário: técnicos fantásticos, jogadores aplicados e dirigentes sérios. Os resultados estão (há muito tempo) nas quadras. O que você prefere curtir?


Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

Junte-se a 87 outros seguidores

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: